Youn Sun Nah e Ambrose Akinmusire Quartet (Outono em Jazz) – Casa da Música (23/10/2018)

Num mundo marcado pelo fluxo e constante exposição a imagens, que se apresentam num scroll infinito, ou músicas das quais se escutam meros segundos para que se possa passar à seguinte e ainda a outra. Talvez seja hora de desacelerar a nossa fome voraz pelo imediato e passar à contemplação da obra artística, com tudo o que esta nos exige.

O Caçador de Histórias/O Livro dos Abraços – Eduardo Galeano (Antígona, 2017/2018)

Será invulgar o talento de Eduardo Galeano para as histórias curtas. Nascido em 1940 e falecido em 2015, o escritor uruguaio deixou uma obra extensa e abrangente. Da ficção ao jornalismo, da análise política à história, tornou-se numa das maiores influências intelectuais e artísticas além-mar. O Livro dos Abraços chegou a Portugal em Março de …

Pátria – Fernando Aramburu (D. Quixote, 2018)

Os mais de 30 anos do País Basco sob o terrorismo não são apenas panorama, mas o livro está longe de ser panfletário. A política existe, é tratada, deixa marcas, mas Aramburu evitou a caricatura ou a ficção professoral. É que a narrativa foi beber à vida do autor, às suas experiências, a reais tensões sociais, políticas e pessoais que marcaram gerações.

Queer Porto 2018 – Teatro Municipal Rivoli

No final do filme, ouvem-se narizes a fungar, aquele tossir que tenta esconder as lágrimas e o plástico de pacotes de lenços de papel, numa manifestação física e emocional da influência do cinema e da importância de ver representações (mais positivas) de indivíduos queer na tela, assim como do poder de nos sentarmos no escuro do cinema em comunidade.