home Antologia, LITERATURA Ao Largo da Vida – Rainer Maria Rilke (Ítaca)

Ao Largo da Vida – Rainer Maria Rilke (Ítaca)

Ao Largo da Vida (Novelas e Esboços, 1898), edição da Ítaca, é composto por onze contos bem concebidos de Rainer Maria Rilke, o poeta/escritor imortalizado pelas suas “Cartas a um Jovem Poeta”.

O traço comum a todas as narrativas compiladas neste simpático volume é o relato colorido de um conjunto de existências “mal vividas” ou “mal morridas”, cujos protagonistas deixaram o leme aos caprichos do destino ou da sua própria obstinação.

As motivações são múltiplas e nem sempre razoáveis: o foco de cada gesto e palavra no objectivo errado, a obsessão com um determinado segredo, uma falha ou defeito irrelevante a qualquer outro mortal que se eterniza e expande, tornando tudo o resto irrelevante: espaços, pessoas, sentimentos, sonhos…tudo o que afinal constrói a individualidade.

Vidas banais nos mais diversos estratos sociais habilmente exploradas ao detalhe, com a mestria de quem domina a arte do uso da palavra certa e se coíbe de a desgastar, sem se eximir de prender o leitor e recompensar a sua fidelidade com uma pequena surpresa no final de cada conto.

As dinâmicas familiares, intemporais na sua iteração, com os interlocutores como única variável, são ponto de fuga de onde se projectam a maioria das personagens, seja na sua versão nuclear ou na perspectiva multigeracional.

O registo da escrita denuncia ainda o peso da data da sua criação, compensado da melhor forma pela inteligente variação de perspectivas e ambientes que vai adaptando, e no modo aparentemente trivial com que joga com as expectativas e com a imagem que vamos construindo de cada ego que a evolução do texto vai sugerindo.

A ironia cómica, sempre com a suavidade de uma pena que nos faz cócegas enquanto dormimos, sem nunca nos despertar do turpor do sono, é outra das armas de Rilke, dirigindo-se amiúde ao leitor e assim temperando situações dramáticas com a necessária relativização e empatia, porque inevitável ou realmente trágica só mesmo a morte.

Um livro que se lê com inegável gosto, pelo requinte dos ambientes e da concepção das personagens em curtas passagens. Uma verdadeira masterclass de escrita por uma fracção ínfima do preço destas “formações”.

Uma aposta segura, mais uma da excelente editora Ítaca, cada vez mais referência no panorama literário português.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *