A Vida de Galileu – Palácio do Bolhão, 10/11/2017

A encenação de Kuniaki Ida deste clássico da modernidade segue os ditames disseminados pela obra dramática e teórica de Bertolt Brecht. Em vez de projectar uma ideia de verosimilhança «naturalista», que criasse aquilo que a tradição poderia chamar «ilusão cómica», as opções do encenador vão no sentido de um certo esquematismo. Deliberadamente, este posicionamento deixa …

Ocupação Dias Hábiles: Nacional-Material, Paisagem com Argonautas/Dias Hábiles – Mosteiro S. Bento da Vitória, 23 e 29/09/2017

As conclusões são da nossa responsabilidade, como também é nossa a opção de mergulhar a cabeça na espuma dos dias e deixar que nos invada a abnegada e entediante inacção perante inoperância de um sistema obsoleto e necessariamente incapaz de verdadeira justiça, perante tamanha e imprevisível diversidade de juízos e mundividências.

O Despertar da Primavera – uma tragédia de juventude – TNSJ, 21/07/2017

O Despertar da Primavera (escrita em 1891 e estreada em 1906 no Deutsches Theater de Berlim) é uma peça central da dramaturgia europeia, da autoria de Frank Wedekind. O subtítulo – “Uma tragédia da juventude” – não é dispiciendo, embora a estrutura clássica da tragédia não esteja presente. Mas lá chegaremos. Benjamin Franklin Wedekind (Hamburgo, 1864 …

O Homem da Guitarra – Teatro Carlos Alberto, 14/07/2017

Sobre Jon Fosse, já muito foi dito, inclusive aqui na INTRO. Dono de um registo dramático e linguístico facilmente identificável, este O Homem da Guitarra, interpretado por um corajoso Manuel Wiborg no Teatro Carlos Alberto, apenas confirma a sua destreza na criação de personagens maltratadas pela vida, como se de um fado irremediável se tratasse, …