home Didascálias, TEATRO Democracy Has Been Detected – Casa Artes Famalicão, 22/2/2020

Democracy Has Been Detected – Casa Artes Famalicão, 22/2/2020

Democracy Has Been Detected é uma história de alienação, comunitária e individual, e das suas consequências, a que se junta o comentário mordaz aos vírus que corróem a democracia actual: a indiferença (ou como lhe chama o glorioso PAI no seu discurso final: “uma indolência”) e a manipulação, retórica e tecnológica, hoje praticamente tornadas uma só.
Condenados desde a Grécia Clássica a este imperfeito regime politico – sobre o qual Churchill famosamente opinava “Indeed it has been said that democracy is the worst form of Government except for all those other forms that have been tried from time to time…” – empatizamos com as personagens que aqui se vão sucedendo, desde os manifestantes na rua, que incentivam a abstenção e condenam a corrupção, aos irmãos Rui e Petra, que coabitam no mesmo espaço mínimo, ou Helena e Sofia, mãe e filha diante de uma súbita doença mortal, mas é ainda e sempre a propaganda que assume o protagonismo nesta sociedade do futuro (ou do presente?) em que a democracia se aproxima do seu nádir.
A introdução do factor tecnologia nesta equação é inteligente, com o Partido da Inteligência Artificial e o seu andróide PAI (um convincente Diogo Freitas, em versão fria e de sorriso assustador) cada vez mais perfeito a tomarem paulatinamente as rédeas do poder, com vista ao domínio absoluto, apoiados numa forte campanha apoiada pelo sensacionalismo dos media (representados pelos repórteres que introduzem algumas cenas com as notícias do dia e pelo fantástico apresentador de talk-show Luís Luís (interpretação de topo de Daniel Silva)) e pelo discurso conciliador e neutro da máquina infalível.
O texto burlesco e recheado de comicidade é uma das mais valias da produção. No entanto, apesar da pertinência e actualidade da temática central, a opção pelo maniqueísmo entre bem e mal ligado à política soa já a algo estafado e redundante. A caricatura do discurso político nas cenas de debate, em que o Primeiro-Ministro repete o discurso de sempre e os interlocutores rosnam na direcção de quem usa da palavra e se interrompem sem que seja possível sequer perceber o que é dito, é puro ouro de detalhe e comentário social, como instantâneo da semente visível do desinteresse e inércia dos eleitores: a incapacidade de justificar a importância do voto e discutir os assuntos essenciais com a profundidade adequada, assim como motivar a verdadeira participação cívica nos assuntos comuns e suspender o incremento da distância entre os círculos do poder e da política e a realidade quotidiana dos governados/espectadores. Tal como em quase todos os aspectos da existência humana, também a democracia se faz de escolhas, cuja ausência implica a sua falência e, inevitavelmente, a sua substituição por uma autocracia, tal como a cíclica História nos vem demonstrando à saciedade.

Democracy Has Been Detected é um trabalho de grande valia que, com parcos meios e detalhes de bom gosto, como a música original tocada ao vivo por Paulo Pires, consegue a proeza de desenhar os contornos essenciais de uma realidade ampla sem o paternalismo e o peso habitual do teatro mais político, optando pelo humor e a ironia para convidar o público a pensar o seu mundo.

Estará em cena a 13 de Março, na Fábrica de Ideias da Gafanha da Nazaré.
TEASER

Ficha Técnica

Criação Diogo Freitas e Filipe Gouveia
Dramaturgia Filipe Gouveia
Interpretação Ana Lídia Pereira, Daniel Silva, Diogo Freitas, Gabriela Leão e Joana Martins
Interpretação e Composição Musical Paulo Pires
Desenho de Luz Pedro Abreu
Desenho de Som e Sonoplastia Rafael Maia e Bernardo Bourbon
Cenografia Maria Manada
Figurinos Matilde Ramos
Produção Executiva Inês Simões Pereira
Acompanhamento Fotográfico Simão Do Vale Africano
Co-produção Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão, FITEI – Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica, São Luiz Teatro Municipal
Residências Artísticas 23 Milhas – Ílhavo, Centro Cultural Vila Flor / Centro de Criação de Candoso e Junta de Freguesia de Joane, Armazém 22
Apoio Teatro Nacional São João, Câmara Municipal de Lisboa e Polo Cultural das Gaivotas Boavista
Produção Momento – Artistas Independentes
Projeto financiado pelo programa de Apoio à Criação da Direção Geral das Artes – Ministério da Cultura
Duração 1h45 s/ Intervalo
Classificação Etária M12

Mais Teatro AQUI

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *