Lágrimas de Sal – Pietro Bartolo e Lidia Tilotta (Objectiva, 2017)

“Sabemos da insuficiência da nossa sensibilidade para tanta dor que não conhecemos porque não sabemos o que é ter de, obrigatoriamente, enfrentar um deserto, um mar, com fome, com sede, com feridas, com suspeitas de estar grávida, com buracos no corpo, com perdas durante o caminho, materiais, humanas, físicas. É uma realidade que nos está barrada. “

Entrevista a Isabel Lucas

A propósito do livro “Viagem ao Sonho Americano – A América pelos livros”, aproveitamos a vinda da autora e jornalista Isabel Lucas à Feira do Livro do Porto para uma conversa sobre o significado do Sonho Americano, a viagem em que percorreu os EUA, os livros que levou na bagagem e as imagens que trouxe consigo. 

A Forma das Ruínas – Juan Gabriel Vázquez (Alfaguara, 2017)

” Este romance longo e poderoso, é uma demonstração plena da capacidade da ficção de explorar as obsessões históricas de um país. Ao longo deste romance, sem termos uma resolução final para o enredo, nem uma explicação cabal sobre a verdade ou falsidade das teorias de conspiração apresentadas, verificamos como a precaridade da vida familiar se constrói sobre crimes históricos passados, que se perpetuam pelo presente e pelas gerações futuras.”

O Meu Nome Era Eileen – Ottessa Moshfegh (Alfaguara, 2017)

Deste romance de estreia de Ottessa Moshfegh se poderia dizer que tem tudo para falhar. Tem tudo, mas não há nada nele que confirme esse vaticínio de catástrofe. Porque se salva da asfixia causada por uma primeira pessoa sufocante, um enredo concentracionário encurralado pela mágoa, castigado pelo ressentimento, consumido por uma raiva que poderia escaqueirar …