home Antologia, LITERATURA Mães Que Tudo (Companhia das Letras, 2019)

Mães Que Tudo (Companhia das Letras, 2019)

“Existirá na nossa vida figura mais inescapável do que a mãe?”. É esta a questão (quase) retórica com que a editora Clara Capitão nos apresenta no prefácio de Mães Que Tudo, uma edição da Companhia das Letras com nove estórias sobre a mãe – essa mulher, a primeira, que nos marca irrevogavelmente até ao fim dos nossos dias e dentro da qual cabe “o mundo todo”.

As escritoras Ana Margarida de Carvalho, Cláudia Clemente, Djaimilia Pereira de Almeida, Filipa Martins, Isabel Lucas, Isabela Figueiredo e Raquel Ribeiro embarcaram no desafio de Clara Capitão e trazem-nos nove concepções do que é ser mãe, através de contos, ora nostálgicos ora desconcertantes, que nos vão confrontando com perspectivas díspares sobre a mesma personagem: a dura realidade da perda para uma mãe e para um filho, o “fardo” que cuidar de uma mãe representa na vida de um filho e a responsabilidade que um filho representará sempre na vida de uma mãe.

Em Mães Que Tudo, entre decepções e conquistas, discorre-se sobre a maternidade e a vontade de a evitar. Sobre o que é ser filha e, simultaneamente, mãe da própria mãe. Sobre assumir o papel de mãe, sem o ser, ou sobre o que representa ser avó quando a vida se encarrega de levar cedo de mais quem nos deveria dar colo para sempre.

São contos crus e comoventes que abrem caminho para uma reflexão interior, ou não fosse a figura materna transversal. Histórias que podiam muito bem ser as nossas, pelo que experimentamos um sem número de emoções, num espectro composto por nostalgia e saudade, por carinho e gratidão, mas também e acima de tudo, por agitação e desassossego, por comoção e negação. Afinal de contas, estamos perante um amor frágil, mas sempre autêntico, embora tantas vezes incompreendido, erradamente demonstrado ou por demonstrar.

Em Mães que Tudo encontramos a mãe real, que ama incondicionalmente e sofre na mesma medida. Mas também os filhos e as suas relações com a figura materna.

Nove narrativas singulares e inéditas, fruto do imaginário das suas escritoras, num todo abrangente que merece uma leitura atenta e promete boas surpresas.

Mais recensões/crítica literária AQUI

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *