home Didascálias, TEATRO Capuchinho – Teatro da Comuna, 11/9/2021

Capuchinho – Teatro da Comuna, 11/9/2021

O Teatro da Comuna teve em cena a peça de teatro Capuchinho, com encenação de Paulo Lage, destinada a crianças até aos 3 anos de idade.
Conseguir encontrar novos olhares e dramaturgias sobre o conto de Charles Perrault não será, certamente, tarefa fácil, correndo-se o risco de que o prazer de reviver um clássico seja suplantado pela ideia de que se tratou de mera repetição ou de um simples reavivar de memórias de infância. Não foi isto que aconteceu quanto nos deslocámos às acolhedoras instalações d’A Comuna, acompanhados de implacáveis críticos infantis.
A peça prima pela impecável utilização do jogo de cores e sons, num cenário simples mas, diríamos, muitíssimo eficaz no evitar da dispersão da atenção do jovem público, assim totalmente concentrado nos riscos da intrépida Capuchinho Vermelho, na voz firme e meiga da Mãe e no dissimulado Lobo Mau.
O grande livro ilustrado presente no palco, cujas páginas vão sendo cuidadosa e ritmadamente voltadas pela Mãe de Capuchinho, é a batuta desta peça orquestrada, que muito vive do ambiente criado pela música e pela atuação dançada de Cheila Lima, Duarte Melo e Sofia Loureiro.
A envolvente musical vagamente assustadora é mitigada pelo deslizar suave das personagens em palco, pelos esgares quase cómicos do Lobo e pelos alertas doces da Mãe.
Uma palavra também para o guarda-roupa perfeito, com destaque para o Lobo, inovadoramente vestido com um fato justo florido, em fundo branco, a deixar antever um final menos difícil para esta personagem.
A Capuchinho bailarina, simultaneamente doce e corajosa, preenche o palco, com todos interagindo e fazendo as delícias dos mais novos, acalmando todas as ansiedades.
Diríamos que se trata de uma encenação pensada para as crianças, mas com uma envolvência, favorecida pela iluminação e pelas opções musicais, que não deixa esquecer que há um Lobo à espreita, sempre.
No final, uma nota apaziguadora para as crianças mais incrédulas com a maldade do Lobo e alguma pena pelo seu castigo. O Lobo não era verdadeiramente mau, o Lobo só tinha fome. Que bom exercício de ternura para terminar a peça e a tarde.

Mais Teatro AQUI

Ficha Técnica

Encenação de Paulo Lage
Coreografia de Elsa Madeira,

Interpretação de Cheila Lima, Duarte Melo, Sofia Loureiro
Cenografia de Ana Paula Rocha
Figurinos de Mestra Olga Amorim
Construção de Figurinos de Olga Adereços de Xana Capela
Direcção Vocal de Sílvia Filipe
Iluminação de Pedro Nabais
Som de Frederico Pereira
Arranjo Musical de Elmano Coelho e Carlos Garcia
Fotografia de Sofia Berberan

Uma co-produção do Teatro Plage e da Buzico! Produções, com a Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão.

O espetáculo tem apoio à criação da DGARTES e GEPAC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *